Busca Interna 
Página Inicial

As Cartas (Cartas)

 












Carta de um estudante aos pais
A Luva
Carta de despedida
Carta de um químico apaixonado
Meu querido marido...
Carta de uma mãe Portuguesa
Resposta do seu filho português a sua mãe
Manifesto contra a discriminação com os Fanhos
Diário de um Dono de Casa
Mais um Usuário insatisfeito do Esposa 1.0
Poema de um verdadeiro Amigo
Suicida
Boa Estratégia
Carta Romântica

 

 

Carta de um estudante aos pais

 

" Queridos papai e mamãe,

Faz agora três meses que estou na faculdade. Atrasei-me muito para escrever-lhes, e sinto muito tê-los desapontado. Mas agora vou coloca-los a par de tudo. Antes de continuar, por favor, sentem-se. Não continuem a leitura antes de se sentar, OK?

Agora estou bem. A fratura e o traumatismo craniano que eu tive ao pular a janela de meu quarto em chamas, logo depois de minha chegada, estão praticamente curados. Passei só duas semanas no hospital, minha vista esta quase normal. E essas enxaquecas horríveis só estão voltando uma vez por semana.

Felizmente, a atendente da lavanderia que fica em frente viu tudo. Foi ela que avisou os bombeiros e chamou a ambulância. Ela também foi me ver no hospital, e como eu não tinha aonde ir com meu apartamento em cinzas, ela teve a gentileza de me convidar a morar na casa dela. Na verdade e um quarto no subsolo, mas muito agradável. Com o dobro da minha idade, é uma mulher adorável, e estamos perdidamente apaixonados. Queremos nos casar. Não decidimos ainda a data, mas será antes da gravidez dela ficar muito visível.

Pois é, pais queridos, serei papai logo. Sei como vocês anseiam ser avós, e tenho certeza de que vocês acolherão o bebe com todo o amor e o carinho que vocês me deram quando eu era pequeno. A única coisa que está atrasando nossa união é essa pequena infecção que minha noiva pegou, que nos impede a fazer os testes pré-nupciais. Eu também, por bobagem, acabei pegando, mas ela vai desaparecer logo com as injeções de penicilina que estou tomando diariamente.

Sei que vocês a acolherão de braços abertos em nossa família. Ela é muito amável, e mesmo não tendo estudado, ela tem muita ambição. Embora não seja da mesma raça e da mesma religião que nós, sei que vocês são tolerantes, e tenho certeza de que não ligarão a mínima ao fato da pele dela ser um pouco mais escura que a nossa. Tenho certeza de que vocês a amarão tanto quanto eu. Como ela tem mais ou menos a sua idade, sei que vocês se darão muito bem com ela, e que se divertirão muito juntos. Os pais dela são também pessoas muito legais: parece que o pai dela é um mercenário famoso na aldeia da África de onde ela vem.

Agora que vocês sabem de tudo, é preciso que eu lhes diga que não houve incêndio nenhum no apartamento. Não tive traumatismo nem fratura do crânio, não fui ao hospital, não estou noivo, não tenho sífilis e não ha mulher bronzeada em minha vida. É que eu tirei zero em física, 2 em matemática e 1 em biologia, e quis relativizar as coisas. "

 

Bom Filho Persegonha


 

 

A Luva

 

Um jovem turista, ao passar em uma loja em Paris, resolveu comprar um belo par de luvas para enviar a sua namorada, ainda virgem, de família tradicional, a quem muito respeitava. 
Na pressa de embrulhar, a moça da loja cometeu um engano trocando as luvas por uma calcinha. O jovem, não notando a troca, remeteu-a com a seguinte carta:

 

" Paris, 03 de janeiro de 2002

Querida,

Sabendo que dia 12 próximo é o dia dos namorados, resolvi te mandar este presentinho. Embora eu sabia que você não costuma usar ( pelo menos eu nunca te vi usando ), acho que você vai gostar da cor e do modelo, pois a moça da loja experimentou e pelo que eu vi, ficou ótima.
A pesar de um pouco larga na frente, ela disse que e melhor assim do que muito apertada, pois a mão entra melhor e os dedos podem se movimentar bem a vontade. Depois de usa-la é bom virar do avesso e colocar um pouco de talco para evitar aquele odor desagradável.
Espero que você goste, pois vai cobrir aquilo que um dia irei te pedir, alem de proteger o local em que colocarei aquilo que você tanto sonha. 

Um beijo ( no lugar onde ira usa-la)

PS: Não me espere retornar para estreá-la. Quero que todos os meus amigos vejam você com ela. E depois esfregue na cara daquelas suas amigas invejosas, pois eu nunca vi nenhuma delas usando. "


 

 

Carta de despedida

 

" Como não posso falar com você tranqüilamente, fiz a seguinte estatística que vale para sua consideração, já que este assunto a irrita com facilidade.
Durante o ano passado, tentei seduzi-la 365 vezes, obtendo êxito em apenas 36 delas. Abaixo exponho os motivos de meus fracassos:
Porque podia acordar os filhos 37 vezes; porque fazia frio, 5 vezes; porque fazia calor, 3 vezes; porque estava cansada, 32 vezes; porque era muito tarde, 23 vezes; porque era muito cedo, 15 vezes; porque dormiu antes, 49 vezes; porque a cama fazia muito barulho, 9 vezes; porque você tinha dor de cabeça, 6 vezes; porque estava rezando a ladainha, 4 vezes; porque estava com dor de dentes, 2 vezes; porque estava com o estômago cheio, 25 vezes; porque estava com estômago vazio, 2 vezes; porque não estava de bom humor 19 vezes; porque sua mãe estava acordada, 7 vezes; porque assistiu televisão até tarde, 17 vezes; porque não queria estragar o penteado, 18 vezes; porque estava naqueles dias, 45 vezes; porque estava esperando um telefonema, 2 vezes; e porque estava com o esmalte ainda fresco, 3 vezes. Total, 329 vezes.
Mesmo nas 36 vezes em que obtive êxito, elas não foram satisfatórias porque: 21 vezes, você disse que eu me apressei e terminei muito rápido; 12 vezes, tive de lhe acordar para dizer que tinha terminado; 2 vezes, você me tirou a inspiração ao comentar que o teto estava precisando de uma pintura; e uma vez pensei que você tivesse morrido, pois você não se mexeu.

 

Com um saudoso abraço,
Seu ex-marido... 

Ailto Gávio Pinto "


 

 

Carta de um químico apaixonado

 

" Berílio Horizonte, zinco de benzeno de 2002.

Querida Valência,

Não estou sendo precipitado e nem desejo catalisar nenhuma reação irreversível entre nós dois, mas sinto que estrôncio perdidamente apaixonado por você. Sabismuto bem que a amo. De antimônio posso lhe assegurar que não sou nenhum erbio e que trabario muito para levar uma vida estável.

Lembro-me de que tudo começou nuranio passado, com um arsênio de mão, quando atravessávamos uma ponte de hidrogênio. Você estava em um carro prata, com roda de magnésio. Houve uma atração forte entre nós dois, acertamos os nossos coeficientes, compartilhamos nossos elétrons, e a ligação foi inevitável. Inclusive depois, quando lhe telefonei, mesmo pega de enxofre, você respondeu carinhosamente: "Próton, com quem tenho o praseodimio de falar?".

Nosso namoro é cério, estava índio muito bem, como se morássemos em um palácio de ouro, e nunca causou nenhum escandio. Eu brometo que nunca haverá gálio entre nós e ate já disse quimicasaria com você. Espero que você não esteja saturada, pois devemos buscar uma reação de adição e não de substituição.

Soube que a Ines lhe contou que eu a embromo: manganês cuidar do seu cobre e acredite níquel digo, pois saiba que eu nunca agi de modo estanho. Caso algum dia apronte alguma, eu sugiro que procure um avogrado e que me metais na cadeia.

Sinceramente, não sei por que você esta a procura de um processo de separação, como se fossemos misturas e não substâncias puras! Mesmo sendo um pouco volátil, nosso relacionamento não pode dar erradio. Se isso acontecesse, iridio emboro urânio de raiva. Espero que você não tenha tido mais contato com o Hélio (que é um nobre!), nem com o Tulio e nem com os estrangeiros (Germanio, Polonio e Francio).

Esses casos devem sofrer uma neutralização ou, pelo menos, uma grande diluição.

Antes de deitar-me, ainda com o abajur acesio, descalcio meus sapatos e mercúrio no silício da noite, pensando no nosso amor que está acarbono e sinto-me sódio. Gostaria de deslocar este equilíbrio e fazer com que tudo voltasse a normalidade inicial. Sem você minha vida teria uma densidade desprezível, seria praticamente um vácuo perfeito. Você é a luz que me alumínio e estou triste porque atualmente nosso relacionamento possui PH maior que 7, isto é, está naquela base.

Saiba, Valência, que não sais do meu pensamento, em todas as suas camadas.

 

Simplíssimo Simplório da Simplicidade Simples "


 

 

Meu querido marido...

 

Estou lhe mandando esta pela internet, para ter certeza de que você a lerá. Desculpe-me a intromissão, mais creio que você deve saber o que está acontecendo em casa desde que seu computador entrou em nossas vidas há dois anos. As crianças estão bem. Pedrinho está com sete anos agora e está um garotão. Ele desenvolveu uma habilidade nas artes. Ele pintou um quadro da família para um trabalho na escola, e todos estão muito realistas. Tuas costas estão PERFEITAS. Você vai se orgulhar dele.

Sandrinha fez três anos em maio. Ela se parece muito com você nessa idade. Ela é linda e inteligente. Ela sempre lembra que você passou uma tarde inteira conosco no seu último aniversário. Que dia lindo para ela, mesmo levando em conta que tinha dado uma tempestade e faltou luz.

Eu estou bem. Eu tingi o cabelo de loiro no ano passado e descobri que é muito mais divertido. Jorge, isto é, o Sr. Jorge, o chefe do departamento, se interessou, digamos assim, pela minha carreira e está sendo um grande amigo.

Descobri que as tarefas domésticas ficaram muito mais fáceis depois que percebi que você não se importa que passe o aspirador em você, e que travesseiro de penas te faz roncar. A casa está legal. Mandei pintar a sala no verão, tenho certeza que você percebeu. Tomei cuidado para que os pintores cortassem um buraco na capa de proteção para não te perturbar.

Bem, querido, preciso ir. O Jorge, isto é, o Sr. Jorge, quero dizer, está nos levando para Campos do Jordão e preciso arrumar as malas. Pedi para a empregada cuidar das suas coisas, te levar café e as refeições na tua mesa, como você gosta. Espero que você e o computador se dêem bem enquanto estivermos fora. Pedrinho, Sandrinha e eu pensamos muito em você. Lembre-se de nós quando estiver tirando seu backup.

 

Beijos,
Sua esposa. "


 

 

Carta de uma mãe Portuguesa

 

" Querido Filho,

Te escrevo estas linhas para que saibas que estou viva. Te escrevo devagar porque sei que tu não consegues ler rápido.
Bom, não vais mais reconhecer a casa quando vieres, porque a gente mudou.
Finalmente enterramos teu avô. Encontramos o cadáver com esse negócio da mudança, estava no armário desde aquele dia em que ganhou da gente brincando de esconde-esconde.

Hoje tua irmã Júlia teve um filho, mas como ainda não sei se é menino ou menina, não posso dizer se você é tio ou tia.
Quem não tem aparecido por aqui é o tio Venâncio, que morreu totalmente no ano passado. E teu primo Jacinto, que sempre acreditou ser mais rápido que um touro, comprovou que não era.

Estou preocupada com o cachorro Boby, que insiste em perseguir os carros parados e está ficando com a cara cada vez mais chata.
Ah! Finalmente os engarrafadores de refresco tiveram a grande idéia de pôr um letreiro na tampinha que diz: "Abra por aqui." Que achas? 
Teu irmão José fechou o carro com a trava e deixou as chaves dentro; teve que ir lá em casa para pegar a chave duplicata e poder tirar todos nós de dentro do carro.
Esta carta te mando com Manolo, que vai amanhã para aí. A propósito, será que podes pegá-lo no aeroporto?

Bom meu filho, não escrevo o endereço porque não o sei. É que a última família portuguesa que vivia aqui nesta casa levou os números para não terem que mudar de endereço.

Se encontrares a dona Maria dá um alo da minha parte; caso não a encontres, não precisas dizer nada.

PS: Ia te mandar cem escudos, mas já fechei o envelope. 

Tua mãe que te ama:
EU "

 


 

 

Resposta do seu filho português a sua mãe

 

"Querida mamãe,

As coisas não estão indo bem aqui no Brasil. A minha esposa Maria, que, aliás, também é tua nora, ficou adoentada e levei-a ao ginecologista, que imediatamente nos perguntou se tínhamos orgasmo.
Fomos embora do consultório na hora, pois tínhamos Golden Cross. A coitada não pode nem mesmo ser atendida, ora pois. Se não bastasse isto teu filho é um fracasso nos negócios, acabei com todo dinheiro que vovó me deu.
Primeiramente comprei um táxi, mas não conseguimos nenhum passageiro. Ainda bem que a Maria estava sempre no banco do passageiro me consolando, o apoio dela foi fundamental. Daí, então, fui trabalhar em uma loja de carros usados e fui despedido logo no primeiro dia.
Imagine só: para cada Uno vendido, eu dava um Prêmio de presente, e ainda estou sendo processado por furto!
Aí então tentei novamente ser empresário, e dancei de novo. Abri um parque de diversões e, atendendo ao apelo dos clientes sadomazoquistas, construi um cinema cento e oitenta graus. Infelizmente eles não resistiram e morreram carbonizados. Se não bastasse, fecharam o parque e atualmente respondo a um processo de homicídio doloso.
Arrasado, tentei outro emprego, desta vez em uma loja de tecidos na 25 de Março em São Paulo. As coisas não estavam indo bem, e o Sr. Assad me pediu que fizesse uma "queima de estoque". Não entendi, mas ordens são ordens. Aí queimou um quarteirão inteiro, fui despedido e ainda falaram que a culpa era toda minha, razão pela qual estou respondendo a um processo de tentativa de homicídio e outro de destruição de patrimônio.
Nem ao menos posso me divertir andando de skate. Aqui no Brasil só tem subida, ora pois na verdade o povo daqui é muito estranho. Entrei um dia desses no elevador de um prédio e o ascensorista me perguntou que andar eu iria, aí resmunguei que qualquer um, pois já tinha errado de prédio mesmo.
E se não bastasse tudo isso acabei com o pouco dinheiro que me restava vindo a comprar uma caixa de naftalinas para matar as baratas que andam pela minha casa. O problema é que minha pontaria é uma droga, e não consegui acertar nenhuma.
Aí fui conferir o jogo que via a jogar na Super-Sena e me ocorreu algo engraçado: eu sempre perdia. Aí, ao conferir o jogo, descobri que tinha empatado, ora pois, Joguei o bilhete fora. Será que algum dia eu vou ganhar?
Escrevo-te agora da prisão, pois levava a Maria para passear e meu furgão foi abordado por um policial que me pediu o documento da besta. Imediatamente dei o meu passaporte. Não é que o guarda me ofendeu e me disse que não queria o meu passaporte. Já que nós não nos entendemos me pediu então o documento da perua, razão pela qual dei o passaporte da Maria. Não é que o tal guarda ficou nervoso, e me ordenou que eu saísse e colocasse minhas mãos sobre a cabeça... mamãe, eu juro que obedeci, não tive culpa que a peruca dele caiu, o homem ficou puto e me prendeu por desacato!
Mamãe não vou poder pegar o Manolo no aeroporto amanhã, pois estou preso.
Mas peça para ele me aguardar que quando eu sair daqui vou buscá-lo lá mesmo.
Um abraço a todos e um beijo de seu eterno,

 

Joaquim Manoel "


 

 

Manifesto contra a discriminação com os Fanhos

 

"Bãstã!

IZO DEM QUE AGABAR!

Os vãnhos zão disgribidados há zégulos por doda bobulazão. 
Dós dambém zomos vilhos de Zeus, Zeus, borra!
Outro dia besmo dive gue gombrar um bênis e... BÊNIS, BORRA!
Zaí da loja gom drês bãralhos.
Depois dive gue dar um inderurbanho bra binha dãborada gue bora em Dragunhanhém. A bunra da televonista ligou pra Dragunhanhém. Dive gue vãlar aos berros:
-- Dão é Dragunhanhém! É Dragunhanhém!
Gonzegui vinalmente a ligazão:
-- Alô! Fãnia? Adivinha guem esdá valando?
Os vãnhos dêm gue der bais boz adiva. Demos gue der bais liberdade de ezbrezão .
Demos gue conseguir nozo lugar ao zol. Dar bazão aos nozos zonhos. Bazão! Num zabe o gue é bazão, borra! Vozês zão zurdos? Borizo gonglamamos, jamamos dodos agueles gue dêm uma ligeira diviguldade de ze vazer entender, bara endrarem neza luda.
Bor hoje jega, vigo bor aguí!

Badrézio Boreira ( Boreira, borra, gom ebe! ), diredor da Azoziazão dos Amigos do Vãnho, a AMADIL (DIL, vuceta! Aquela gobrinha gue viga em zima do A! A!, BORRA!) "

VONOAUDIÓLOGO


 

 

Diário de um Dono de Casa

 

Segunda-feira

Sozinho em casa. Minha mulher vai passar a semana fora. Ótimo. Acho que teremos uma semana inesquecível - o cachorro e eu.
Tracei um plano e programei meu tempo. Sei exatamente quando acordar, quanto tempo ficar no banheiro e quanto tempo levar preparando o café.
Também somei o número de horas de que preciso para lavar, arrumar, levar o cachorro para passear, fazer compras e cozinhar.
Estou agradavelmente surpreso em ver que ainda me sobra muito tempo livre. Não sei porque as mulheres fazem o serviço de casa parecer tão complicado, quando toma tão pouco tempo. É só se organizar.
O cachorro e eu jantamos um bife cada um. Coloquei sobre a mesa a toalha de festa, uma vela, além de rosas - para criar atmosfera agradável.
Ele come patê de entrada, depois outra vez no prato principal, com fina guarnição de legumes, e biscoitos de sobremesa. Bebo vinho e fumo charuto.
Há muito não me sentia tão bem.

 

Terça-feira

Preciso dar outra olhada na programação. Parece que requer pequenas mudanças. Expliquei para o cachorro que nem todo dia é feriado, portanto não deve esperar "hors d'oeuvres" nas refeições, nem três tigelas, que ainda tenho de lavar. No café da manhã, notei que suco de laranja caseiro tem uma desvantagem. O espremedor de frutas tem de ser limpo a cada vez.
Uma possibilidade: fazer o suficiente para dois dias. Aí posso lavar com a metade da freqüência.
Descoberta: você pode aquecer salsichas na sopa e assim ter menos uma panela para lavar. Certamente não pretendo aspirar a casa todos os dias, como minha mulher queria. Dia sim dia não é mais do que suficiente. O segredo é andar de chinelos e limpar as patas do cachorro. Pronto.
Sinto-me ótimo.

 

Quarta-feira

Tenho a sensação de que o serviço de casa toma mais tempo do que eu imaginava. Devo repensar minha estratégia. Primeiro passo: comprei comida pronta. Não preciso gastar tanto tempo cozinhando.
Não se deve levar mais tempo cozinhando do que comendo. Fazer a cama é um problema: sair de baixo das cobertas, depois arejar o lugar e então fazer a cama. É tudo tão complexo! Não acho necessário arrumá-la todos os dias, especialmente sabendo que voltarei a dormir naquela mesma noite.
Parece tarefa sem importância.
Não estou mais preparando refeições complicadas para cachorro.
Comprei comida pronta para cães. Ele fez uma cara! Mas o que fazer?
Se posso comer refeições semiprontas, ele também pode.

 

Quinta-feira

Chega de suco de laranja! Como pode uma fruta de aspecto tão inocente criar tal confusão? É inacreditável. Comprarei suco de laranja em garrafa, pronto para beber. Descoberta: consegui sair da cama quase sem desarrumar as cobertas. Tudo que tive de fazer foi alisar um pouco o cobertor. Claro, é preciso prática e não se pode rolar muito durante o sono. Minhas costas doem um pouco, mas nada que um banho quente não resolva. 
Parei de me barbear todos os dias. É realmente perda de tempo. Ganho preciosos minutos que minha mulher nunca perde porque não faz barba.
Descoberta: não há necessidade de se comer num prato novo a cada vez.
Lavar louça com tanta freqüência começa a me irritar. O cachorro também pode comer numa única tigela. Afinal, é só um cão. Nota: cheguei a conclusão de que se pode aspirar no máximo uma vez por semana.

 

Sexta-feira

Basta de suco de frutas! As garrafas são pesadas demais. Descobri o seguinte: salsichas são ótimas pela manhã. No almoço, nem tanto. E no jantar, nem pensar. Se um homem come salsicha por mais de dois dias, pode ter náuseas. Dei ração ao cachorro. É nutritiva e não suja a tigela.
Descobri que sopa pode ser ingerida diretamente da lata. Tem o mesmo gosto.
Sem vasilha, sem concha! Não me sinto mais um lava-louças automático.
Parei de esfregar o chão da cozinha. Aquilo me irritava tanto quanto fazer a cama. Nota: esqueça as latas, pois sujam o abridor.

 

Sábado

Por que tirar a roupa à noite se vou vesti-la de novo pela manhã?
Prefiro passar o mesmo tempo deitado, descansando. Também não há necessidade de usar cobertas, assim a cama já fica feita. O cachorro sujou o chão. Dei-lhe uma bronca. Não sou seu criado!
Estranho. Minha mulher me diz isso de vez em quando. Hoje é dia de fazer a barba, mas não sinto vontade. A paciência está no limite. O café da manhã será algo que eu não precise desembrulhar, abrir, fatiar, espalhar, cozinhar ou mexer. Tudo isso me irrita.
Plano: almoçar diretamente na sacola, em cima do fogão. Sem pratos, talheres, toalhas ou qualquer outro absurdo. As gengivas estão meio inflamadas. Talvez seja a falta de frutas, tão pesadas para se carregar.
Minha mulher ligou à tarde e perguntou se lavei as janelas e as roupas.
Caí numa risada histérica. Disse que não tive tempo.
Há um problema na banheira. Está entupida com espaguete. Não me incomoda muito, parei de tomar banho mesmo.
Nota: o cachorro e eu comemos juntos, diretamente da geladeira. Tem de ser rápido, para não ficar muito tempo aberta.

 

Domingo

O cachorro e eu estávamos sentados na cama vendo na TV as pessoas comerem todo o tipo de comida e guloseimas. Ficamos com água na boca.
Estamos ambos fracos e de mau humor.
Comi algo da tigela do cachorro pela manhã. Nenhum de nós gostou.
Devia tomar banho, fazer a barba, pentear-me, dar comida ao cachorro, levá-lo para passear, lavar a louça, arrumar, fazer compras, entre outros, mas não tenho forças. Sinto que estou perdendo o equilíbrio e minha visão está sumindo. O cachorro parou de abanar o rabo.
Num último acesso de autopreservação, rastejamos até um restaurante.
Comemos vários pratos de boa comida durante mais de uma hora. Depois fomos a um hotel. O quarto é limpo, arrumado e aconchegante. Encontro a solução ideal para os serviços de casa. Imagino se minha mulher já pensou nisso.


 

 

Mais um Usuário insatisfeito do Esposa 1.0

 

Reclamação

Ao Suporte Técnico:
Há um ano e meio troquei o programa Noiva 7.0 pelo Esposa 1.0 e verifiquei que o programa gerou um aplicativo inesperado chamado Bebê.exe que ocupa muito espaço no HD.

Nas instruções do programa a geração deste aplicativo não era mencionada de forma incisiva!
Por outro lado, o Esposa 1.0 se auto-instala em todos os outros programas, e é carregado automaticamente assim que eu abro qualquer aplicativo. 
Aplicativos como Cervejacomaturma 5.1, Noitedefarra 6.9 ou Domingodefutebol 3.0 não funcionam mais, e o sistema trava assim que eu tento carregá-los novamente.

Além disso, de tempos em tempos um executável oculto (vírus ?) chamado Sogra 1.0 se comporta de modo totalmente inesperado, por exemplo encerrando abruptamente a execução de um comando. Não consigo desinstalar este programa.

Também não consigo diminuir o espaço ocupado pelo Esposa 1.0 quando estou rodando meus aplicativos preferidos. Eu gostaria de voltar ao programa que eu usava antes (Noiva 7.0) mas o comando Uninstall não funciona adequadamente. Poderia ajudar-me? Por favor!

Ass: Usuário Desmoralizado

 

Resposta

Prezado usuário
Sua queixa é muito comum entre os usuários, mas é devida, na maioria das vezes, a um erro básico de conceito: muitos usuários migram de qualquer versão Noiva X.0 para Esposa 1.0 com falsa idéia de que se trata de um aplicativo de entretenimento e utilitário.

Entretanto, o Esposa 1.0 é muito mais do que isso: trata-se de um sistema operacional completo, criado para controlar todo o sistema. É quase impossível desinstalar Esposa 1.0 e voltar para uma versão Noiva X.0, porque há aplicativos ocultos neste sistema que fazem o Noiva X.0 comportar-se como Esposa 1.0, portanto sem nenhuma vantagem.
É impossível desinstalar, deletar ou esvaziar os arquivos dos programas depois de instalados. Você não pode voltar ao Noiva X.0 porque Esposa 1.0 não foi programado para isso.

O mesmo problema ocorre com Sogra 1.0, que é um aplicativo que se auto-instala no sistema assim que for executado Esposa 1.0. Alguns usuários tentaram formatar todo o sistema para em seguida instalar o Noiva Plus ou o Esposa 2.0, mas passaram a ter mais problemas do que antes (leia Obs. no capítulo "Cuidados Gerais" referente a "Pensões Alimentícias" e "Guarda das Crianças").

Por outro lado, se você instalar a versão Noiva 8.0, não tente migrar para Esposa 2.0, porque os problemas gerados por este novo sistema são piores do que os do Esposa 1.0.

Embora exista uma versão Esposa 3.0 e até mesmo Esposa 4.0, estes programas só podem ser usados por especialistas, com custo muito elevado, e de uso desaconselhado para usuários comuns.

Se todos estes sistemas falharem, aconselhamos o uso de programas totalmente distintos, como Solteiro 1.0 ou Garanhão 5.3.

Mas nós aconselhamos manter Esposa 1.0 e usá-lo com todo carinho. Eu, pessoalmente, há pouco tempo atrás instalei o Esposa 1.0 mas antes estudei profundamente todo o capítulo referente a Erros Comuns (EC).
Esposa 1.0 é um programa muito sensível aos comandos e funciona em modo protegido contra erros.

Isto significa que você deve assumir qualquer erro que apareça, não importa qual a causa, porque o programa considera sempre que um erro no sistema só possa ser proveniente de mau uso de sua parte.

Uma das melhores soluções é o comando DESCULPAR.EXE assim que aparecer o menor problema ou se travar o micro. É inútil reiniciar o sistema. Evite o uso excessivo das teclas ESC ou, que podem provocar o uso posterior de DESCULPAR.EXE/flores/all para poder rodar normalmente.

O sistema funcionará sem nenhum problema enquanto você assumir toda a responsabilidade pelos EC que possam surgir. Esposa 1.0 é um programa muito útil para alguns, mas que gera um custo elevado.
Para melhorar a rentabilidade, aconselho o uso de Flores 5.0, Fériasnocaribe 3.2 ou Jóias 3.3. Você pode baixá-los da própria Internet. Os resultados são bem interessantes.

Mas nunca instale Secretáriademinisaia 3.3, Namoradinha 1.2 ou Turmadochope 4.6, pois não funcionam depois de ter sido instalado o Esposa 1.0 e podem causar problemas irreparáveis no sistema.

Boa sorte!
Departamento de suporte Técnico


 

 

Poema de um verdadeiro Amigo

 

Se você está cansado de ler aquelas coisas melosas,com poemas chatos sobre amizade que, na maioria das vezes, soam legais, mas nunca realmente chegam perto da realidade... Seus problemas acabaram!
Aqui está um poema sobre amigos que realmente expressa a amizade verdadeira.

 

Amigo,

Quando você estiver triste, ...
Eu vou te deixar bêbado, e te ajudar a planejar uma vingança contra o pobre filho da puta que te deixou assim.

Quando você me olhar com desespero, ...
Eu vou enfiar o dedo na sua goela e te fazer pôr pra fora o que estiver te engasgando.

Quando você sorrir, ...
Eu vou saber que você finalmente deu uns "pega".

Quando você sentir medo, ...
Eu vou te chamar de viadinho e tirar uma da sua cara sempre que tiver chance.

Quando você estiver preocupado, ...
Eu vou contar histórias horríveis sobre o quão pior você poderia estar e te mandar parar de choramingar.

Quando você estiver confuso, ...
Eu vou explicar pra você com palavras bem simples porque eu sei o quanto você é burro.

Quando você estiver doente, ...
Fique bem longe de mim até se curar. Eu é que não quero pegar o que quer que você tenha.

Quando você cair, ...
Eu vou apontar pra você e me cagar de rir do seu desengonço.

Esta é minha jura, e eu garanto, até o fim.
E se você me pergunta, "Por Quê?" 
Porque você é meu amigo!

Um grande abraço por trás do seu grande Amigo.


 

Suicida

 

Foi encontrado no bolso de um suicida, a seguinte carta:

" Ilustríssimo senhor delegado de polícia: Não culpe ninguém pela minha morte. Deixei esta vida porque, um dia a mais que eu vivesse, acabaria morrendo como louco.
Explico-lhe, seu delegado:
Tive a desdita de casar-me com uma viúva, a qual tinha uma filha. Se eu soubesse disso, jamais teria me casado. Meu pai, para maior desgraça, era viúvo, e quis a fatalidade que ele se enamorasse e casasse com a filha da minha mulher.
Resultou-se dai que minha mulher tornou-se sogra do meu pai. Minha enteada ficou sendo minha mãe, e meu pai era, ao mesmo tempo meu genro. Após algum tempo minha filha trouxe ao mundo um menino que veio a ser meu irmão, porém neto de minha mulher, de maneira que fiquei sendo avô de meu irmão. Com o decorrer do tempo, minha mulher, deu à luz a um menino que, como irmão de minha mãe, era cunhado de meu pai e tio de seu filho, passando minha mulher a ser nora de sua própria filha.
Eu, seu delegado, fiquei sendo pai de minha mãe, tornando-me irmão de meu pai e de meus filhos, e minha mulher ficou sendo minha avó, já que é a mãe da minha mãe. Assim acabei sendo avó de mim mesmo.
Portanto, seu delegado, antes que a coisa complique mais, resolvi desertar deste mundo. "


 

 

Boa Estratégia

Nada como uma boa estratégia, para conseguir coisas que parecem impossíveis:

 

Um velho vivia sozinho em Minnesota. Ele queria cavar seu jardim, mas era um trabalho muito pesado. Seu único filho, que normalmente o ajudava, estava na prisão. O velho então escreveu a seguinte carta ao filho, reclamando de seu problema:

" Querido filho, estou triste porque, ao que parece, não vou poder plantar meu jardim este ano. 
Detesto não poder fazê-lo porque sua mãe sempre adorava a época do plantio depois do inverno. 
Mas eu estou velho demais para cavar a terra. Se você estivesse aqui, eu não teria esse problema, mas sei que você não pode me ajudar com o jardim, pois está na prisão.
Com amor, papai "

Pouco depois o pai recebeu a seguinte resposta:

" PELO AMOR DE DEUS, papai, não escave o jardim! Foi lá que eu escondi os corpos! "

As quatro da manhã do dia seguinte, uma dúzia de agentes do FBI e policiais apareceram e cavaram o jardim inteiro, sem encontrar nenhum corpo. Confuso, o velho escreveu uma carta para o filho contando o que acontecera. 
Esta foi a resposta:

" Pode plantar seu jardim agora, papai. Isso é o máximo que eu posso fazer no momento. "


 

 

Carta Romântica

 

Querida, faz tanto tempo que eu não me
conformo, tendo somente o meu pensamen-
to em você. Por isso, estou com grande te-
mor e estou sabendo que tenho ra-
zão e não descansarei enquanto não fo-
calizar meu pensamento ainda mais para po-
der até esgotar o último pingo de por-
ção de alegria que em meu peito se encer-
ra, que está acumulada dentro do meu cará-
ter de homem que vive do traba-
lho; espero que goste do meu fu-
turo, sempre ao seu lado, mantendo-me o mes-
mo que sempre esperou por você!

OBS: Você leu essa carta romântica e não gostou, e é desses que gosta de sacanagem,
leia novamente a carta, pulando uma linha.


 

 

 


Home Page de aNEDOTAS Voltar | Topo